Torteroli

Afonso Angeli Torteroli foi um dos maiores espíritas Brasileiros. Entretanto, seu nome é esquecido. Recentemente, Mauro Quintella vem resgatar essa importante memória ao estudo do Espiritismo no Brasil.

Torteroli ficou conhecido como líder dos “científicos”, quando havia uma intensa disputa entre os espíritas, que de um lado queriam formar uma religião e, de outro, uma ciência.

Travou intenso debate com Bezerra de Meneses. Trabalhou como professor, jornalista e no fim da vida vivia praticamente na pobreza. Doava tudo que tinha aos pobres e fazia peregrinações por bairros distribuindo o pouco que conseguia, uma prova “viva” de que ver o Espiritismo mais como uma “ciência” do que como uma religião não torna as pessoas insensíveis ao bem e ao próximo.

Confira aqui, aqui e aqui, as três partes da sua biografia. 

Torteroli: Um Nome a Ser Lembrado

Afonso Angeli Torteroli foi uma das figuras mais importantes do movimento espírita brasileiro do século 19. Como não temos, até hoje, um trabalho biográfico que faça jus ao valor desse confrade, procurei preencher essa lacuna, relembrando sua atuação aos mais velhos e apresentando-o às novas gerações.

Existem divergências quanto ao local e data do nascimento de Torteroli. O Reformador afirma que ele nasceu no Rio de Janeiro no dia 2 de junho de 1849. Já o pesquisador Antônio Lucena diz que o nosso biografado nasceu em Gênova, na Itália, aos 23 de setembro de 1848.

Quanto à data da morte, porém, há concordância, pois todos os registros indicam que sua desencarnação se deu no Rio de Janeiro, a 11 de janeiro de 1928.

Apesar de formado em Direito, Angeli Torteroli tirava sua subsistência do trabalho de professor e jornalista. Como espírita, seu nome está ligado aos principais trabalhos doutrinários desenvolvidos no Rio de Janeiro, no final do século passado. A saber:

Continue lendo…