Atendimento espiritual pelo passe

Interessantíssima entrevista de Marta Antunes que fala sobre seu livro “O atendimento espiritual pelo passe“, editado pela FEB.

Sinopse do livro:

“Para a Doutrina Espírita, o passe é uma verdadeira transmissão de energias fluídicas, auxiliada pela assistência de Espíritos superiores. Por este motivo, o passe é relacionado com frequência ao processo de cura, seja ela física ou espiritual. Como o simples gesto do passe pode distribuir vibrações tão profundas a ponto de recuperar o equilíbrio de um Espírito? O que é preciso para transmitir boas energias aos próximos mais necessitados? Qualquer pessoa pode ministrar o passe?

O Atendimento espiritual pelo passe é obra que esclarece dúvidas e curiosidades sobre as ações que envolvem o mecanismo e a prática do passe, a existência dos fluidos vitais e universais, as energias magnéticas e curadoras, a influência da prece e do pensamento na recuperação dos Espíritos sofredores, e as irradiações mentais, benefícios e finalidades da transmissão do passe.”

O passe espírita

Há algum tempo escrevi um post sobre o “passe virtual”, este absurdo que inventaram para tranquilizar pessoas à distância. Agora, gostaria de escrever brevemente um pequeno aviso sobre passes espíritas:

Passes longitudinais, verticais, p1, p2, p3, nos chácras, com pernas cruzadas ou descruzadas (o mesmo vale para os braços), mãos com a palma pra cima, palma para baixo, passe com bocejo, sopro, toque no corpo da pessoa, abanando as mãos, estalando os dedos, esfregar as mãos, fazer movimentos como se estivesse tirando alguma coisa, passes descalços, etc.

TUDO isso é desnecessário. São maneirismos bobos e sem fundamento doutrinário algum criados para complicar um processo simples por natureza. Eu fico espantado de ver livros e mais livros sendo editados oferecendo técnicas, desenhos e esquemas para aplicar o passe – afinal, com tanto livro sendo lançado, quem tem tempo para ler Kardec? Tudo absolutamente desnecessário.

O passe verdadeiramente espírita exige apenas boa-vontade, oração em favor do outro. No máximo, erguer as mãos sobre a pessoa e orar em seu favor (nem erguer as mãos precisa, já que o pensamento é que vai levar os fluidos e não as mãos). Portanto, se você for a um centro e lá observar as coisas que citei acima, desconfie. Onde entra misticismo, o Espiritismo acaba perdendo.

Uma opinião sobre o passe…

passe01comespiritoParece aumentar, a cada dia, o número de pessoas que recorrem ao passe e a água fluidificada, à maneira de católicos em busca da benção do padre e da hóstia, respectivamente.

Tem-se deturpado, e muito, o significado de tais práticas, que assumem vez ou outra, caráter ritualístico semelhante ao benzimento dos antigos.

Desta forma, é preciso esclarecer que:

a)    O chamado “passe” nada mais é do que a magnetização, tratada por Kardec, herdada do Mesmerismo e adaptada ao Espiritismo à Brasileira;

b)    Não há razão para que se procure o passe todos os dias ou religiosamente todas as semanas;

c)    Grande parte das pessoas que procuram sistematicamente os grupos espíritas para receber o “passe” não tem o mínimo conhecimento de sua ação e eficácia;

d)    Vê-se imensas filas de pessoas esperando o passe e pouquíssimas pessoas nos estudos, algo deve estar errado;

e)    À falta de um conhecimento preciso sobre o assunto, deturpam seu significado e transformam a água fluidificada numa espécie de “água benta espírita”;

f)     Levam garrafinhas (e, às vezes, garrafões) para que a água seja ingerida durante a semana, como se fosse um remédio espiritual-homeopático;

g)    É ilusão, quando não placebo, pensar que receber o “passe” fará nosso dia melhor, nos protegerá de más influências, etc;

h)   São nossos pensamentos e atos que verdadeiramente formam barreiras;

i)     É preciso não ficar refém de práticas exteriores, em detrimento do recolhimento interior, na busca vã de soluções fáceis para nossos problemas, evitando, portanto, tornar-se um papa-passe*;

j)     É preciso que os centros se conscientizem que o estudo é o maior aliado das práticas espirituais e deixá-lo de lado em detrimento de um pretenso trabalho espiritual, é dar um tiro no próprio pé;

 Às pessoas que desejam se esclarecer, recomendamos a leitura de: O Livro dos Médiuns, Capítulo VIII – Ação Magnética Curadora.

* Papa-passe é uma gíria espírita que se utiliza para se referir as pessoas que buscam sistematicamente as casas espíritas em busca do “passe”.