Grupo: Eu Sou Espírita – Facebook

Há alguns meses, entrei num grupo de facebook sobre o Espiritismo, chamado: Eu Sou Espírita . Como tinha interesse em avaliar outros grupos espíritas do facebook, acabei não dando muita atenção a este, embora muito grande (mais de 55 mil membros).

Depois de ter feito uma peneira, passei a observar seu conteúdo e percebi que um grande número de pessoas postava cotidianamente neste grupo em busca de instrução. Comecei a participar.

De início, tudo muito bem. Um moderador do grupo me convidou, inclusive, a expor meus estudos em áudio todos os dias. Curtia meus comentários e também comentava vários tópicos que eu criava, até que…

Semana passada, uma moça criou um tópico manifestando sua dificuldade/indignação, com relação à justiça Divina. Em suma, ela achava (como muitos acham) que nós estamos à beira do caos, com tanto desamor.

Eu lhe respondi indicando um estudo do psicólogo Americano Steven Pinker, mostrando o contrário, que estamos em tempo pacíficos, se comparado com outros períodos da história.

Para minha surpresa, o mesmo referido moderador (que imagino ser o “dono” do grupo), simplesmente excluiu tanto o meu comentário quanto a resposta da criadora do tópico à mim.

Estranhando, ela perguntou o motivo de ter seu último comentário excluído, ao que o referido moderador disse apenas que aquele dia seria um dia de prece no grupo e que não permitiria assuntos polêmicos, pois isso acabava escondendo os avisos de preces a ser realizada à noite.

Em outro tópico, ele já havia dito que o dia de preces no grupo tinha feito muito bem em razão do tanto de mensagens que ele havia recebido criticando-o por essa atitude (ou será que eram críticas por que ele havia apagado outros tópicos sem consideração alguma pelos que participavam?). A princípio, achei estranho, mas não dei atenção.

Eis que, quando fui responder que meu comentário havia sido excluído também e que não havia nenhuma polêmica naquela discussão (que já somava dezenas de comentários, de dezenas de pessoas), simplesmente descobri que o tópico foi apagado. Ele apagou todo o tópico, cortando uma discussão doutrinária séria sem a menor cerimônia.

Aquilo me contrariou muito e resolvi lhe escrever uma mensagem em particular:

“Sr. (nome do moderador), com o objetivo de “evitar polêmica” no dia de hoje, o Sr. acabou por causá-la ao deletar um tópico de uma dúvida SÉRIA, respondida de forma SÉRIA, com dezenas de comentários SÉRIOS, com a absurda justificativa de que isso acabaria “escondendo” os posts sobre uma prece a ser feita na noite de hoje.

O uso do recurso de moderação devia, pelo menos em todo caso, servir para mediar às comunicações humanas, mas nunca cerceá-las sem motivo SÉRIO, dado que as ferramentas do facebook permitem fixar determinado tópico na parte superior do grupo onde todos podem vê-lo.

Eu peço, assim, que o Sr. faça bom uso das ferramentas de moderação e não seja injusto com quem procura de verdade se instruir no Espiritismo. A comunidade “Eu sou Espírita” é formada, pelo que tenho visto, de muitas pessoas que desejam seriamente se instruir e seria uma pena se fossem cerceadas de uma forma tão absurda como a que vi hoje.

Eu já fui moderador e sei como é complicado. Diariamente o Sr. tem que lidar com muito desrespeito, brigas e coisas do tipo. Sei de tudo isso. Mas, no episódio de hoje, não houve nem sinal de algo do tipo e o tópico simplesmente foi deletado. Tenho aqui os prints que provariam a um leitor futuro, se necessário for…

Eu sou um estudioso do Espiritismo e sou sério. O Sr. pode pensar que estou querendo causar polêmica, até mesmo por que, pelo vi num comentário, o Sr. imagina estar havendo alguma investida das trevas nos dias de prece. Asseguro, no entanto, que não se trata disso. Minha mensagem tem apenas o interesse de alertá-lo.

Caso o senhor insista em proceder desta forma, irei fazer essa denúncia pública no grupo e para impedir-me, o senhor terá que me expulsar do grupo, o que fará com que eu escreva uma crítica sobre sua atitude em meu site: http://www.estudoespirita.org, acessado diariamente por centenas de espíritas.

Desejo, sinceramente, que o Sr. repense”.

Como não obtive resposta, resolvi deixar isso de lado. Imaginei que, talvez, ele estivesse num dia ruim e tomado uma decisão apressada. Acabei excluindo os prints que havia feito (uma pena!), pois pensei que o assunto havia acabado.

Ontem (domingo), resolvi dar uma olhada nos grupos antes de dormir (como sempre tenho feito) e, para minha surpresa, vi que não constava mais na minha lista o grupo: Eu Sou Espírita. Sumariamente, fui simplesmente expulso do grupo. Não obtive resposta à minha mensagem, nenhum aviso, nada.

Esse tipo de situação não é nova para mim, pois ocorreu a mesma coisa com muitos grupos do falecido Orkut. Quando o Espiritismo começou a se propagar na rede, muita gente se apossou de várias comunidades e passou a gerenciá-las com mão de ferro. Eu não imaginava, porém, que isso apareceria tão rapidamente no facebook.

Nas poucas intervenções que fiz no referido grupo, creio ter contribuído de modo satisfatório, dado que não alimentei rivalidade com ninguém nem fiz nada que merecesse censura (desfio os moderadores do referido grupo a provarem o contrário). Simplesmente me defrontei com um moderador impetuoso que decidiu excluir conversas sérias para prevalecer sua novena espiritólica virtual.

Você já deve ter lido ou ouvido histórias de Centros que se desestruturaram por que tinham pessoas perturbadas em seu controle, não é? O mesmo está acontecendo neste grupo do facebook. Lamentavelmente, pessoas despreparadas como este Sr. acabam assumindo funções de moderação e fazem a festa por lá…

Fica, assim, o alerta a todos os leitores deste blog que porventura façam parte deste grupo no facebook: não se calem!

“Não podemos recuar, nem calar. O que está em jogo não é a nossa opinião pessoal ou grupal, a nossa verdade particular. O que está em jogo é o Espiritismo, a Verdade Universal pregada por Jesus, destruída nas fogueiras da mentira e ressuscitada pelo Espírito da Verdade”. Herculano Pires