Amarrações

amarra2Existem muitas definições para o termo amarração. Vou utilizar a que é mais popularmente conhecida: um feitiço para ter o amor de uma pessoa. Em resumo, é isso. A amarração consiste na ideia de que, por meios mágicos, se pode ter o amor de uma pessoa ainda que esta lhe seja indiferente.

Este assunto é corriqueiro no meio esotérico, onde causa divisões, pois há aqueles que fazem e os que não fazem. Os que não fazem, geralmente, protestam alegando que, através da “lei do retorno”, aquele que faz esse tipo de “trabalho” está atraindo, para si, sofrimento para o futuro e, assim, evitam-na. Outros, contudo, não se importam muito com isso e pedem mesmo grandes somas para realizar tais procedimentos…

Eventualmente, deparo-me com alguma pessoa, geralmente mulher, pedindo-me instruções para proceder este feitiço. Quase sempre, porém, o desapontamento logo surge quando lhes informo que não apenas não creio nisso, como também que não creio em magias, feitiçarias, simpatias e coisas do gênero.

Normalmente, a conversa termina aqui. Mas, eventualmente prossegue. Quando surge ocasião, digo-lhes que, primeiramente, numa concepção espírita (importa deixar claro que entendemos que outras pessoas pensem diferente), não cremos ser possível usar de quaisquer artifícios para fazer dobrar a vontade de alguém.

Às vezes, protestam, perguntando se algum médium poderia pedir esse “favor” a um espírito, etc. Respondo-lhes que não, pois segundo a questão 551 de O Livro dos Espíritos (e seguintes), isso “não seria permitido”.

Pesquisando pela internet, podemos encontrar vários vídeos sobre amarração e desamarração (separar um casal, ex). Eu fico sempre me perguntando o quão baixo é capaz de descer um ser humano para desejar ser feliz acima de tudo. Essas pessoas não têm receio algum de desejar o mal do outro, passar por cima deles, até mesmo de suas vontades, para prevalecer o seu desejo, o que sempre me impressiona…

O Espiritismo não tem nada a ver com essa prática e sequer crê em sua eficácia. De modo que podemos dizer, em alto e bom tom, que no Espiritismo: não acreditamos em magia, simpatia, amarrações, magia negra, etc.

 Como disseram os espíritos:

“Não creias, porém, num pretenso poder mágico, que só existe na imaginação de criaturas supersticiosas”. LE. 552

“Todas as fórmulas são mera charlatanaria. Não há palavra sacramental nenhuma, nenhum sinal cabalístico, nem talismã, que tenha qualquer ação sobre os Espíritos, porquanto estes só são atraídos pelo pensamento e não pelas coisas materiais”. LE. 553