Primeiro, Kardec!

Algumas pessoas têm a noção equivocada de que o incentivo ao estudo da obra de Allan Kardec, antes de qualquer outra, é um incentivo a não estudar o que não for Kardec. Não é o caso.

A obra de Allan Kardec, como fundador do Espiritismo (prefiro a expressão fundador a codificador), é essencial para que os pontos básicos do Espiritismo sejam bem compreendidos e solidificados. Esta base é importante, justamente, para poder avaliar, posteriormente, as demais ideias, dos demais autores.

Mesmo autores do período clássico, como Denis e Delanne, muito respeitados no meio espíritas, bons conhecedores do Espiritismo, fizeram leituras pessoais em suas obras, muitas vezes conflitantes, se comparadas ao que foi dito à Kardec.

No livro de Léon Denis: Síntese Doutrinária Prática do Espiritismo, por exemplo, podemos ver, na questão 28, que o mesmo responde que Deus não permite a lembrança do passado (de uma vida passada), exceto pela hipnose ou pelo sono. Em O Livro dos Espíritos, questão 395, se afirma que muitas pessoas sabem sobre suas vidas passadas. Como explicar, então, essa contradição, senão pelo viés da leitura pessoal de Denis sobre o assunto?

Desta forma, muitos outros pontos divergentes surgem na obra que, em essência, é boa, instrutiva, interessante, mas que termina por não ser muito fiel às instruções recebidas por Kardec.

Portanto, não recomendo apenas o estudo da obra de Allan Kardec; mas, recomendo que os livros de Kardec sejam os primeiros a serem lidos, a base fundamental…  Alicerçada essa base, cada um é livre para ler o que quiser e absorver as influências das mais variadas fontes conforme seu gosto pessoal. Sem o conhecimento básico, contudo, fica impossível distinguir as ideias pessoais das ideias que formam o corpo doutrinário básico do Espiritismo.

Algumas pessoas irão alegar, contudo, que a obra de Kardec é muito complexa e de difícil entendimento. Recomendo a essas pessoas, se assim sentirem, que busquem livretos em que Kardec traçou resumos explicativos sobre o Espiritismo. Estes também são importantes e constituem, antes de tudo, verdadeiros cursos básicos.

São eles: O Principiante Espírita, Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas, O Espiritismo em sua Expressão mais simples, O que é o Espiritismo? (especialmente em sua segunda parte), etc.

Se você está começando no Espiritismo, minha sugestão é: Não leia romance, leia os livros de Allan Kardec primeiro. Entenda o que seja o Espiritismo em sua própria base, através do autor que o fundou na Terra e depois, se desejar, leia os demais autores e os estilos que mais lhe agradar. Mas, repito: isto é uma sugestão, nada mais do que isso.

2 comentários sobre “Primeiro, Kardec!

  1. Eu concordo com sua dica. Sou um jovem iniciante do estudo Espírita e comecei lendo outros autores. Mas hoje em dia comecei a ler as obras base de Kardec e estou muito surpreso com tamanha informação e riqueza de argumento e lógica. Tive essa iniciativa de ler as obras dele devido ao efeito de ler sua biografia “Kardec” do autor brasileiro o qual não me lembro o nome. É um repórter que contou de forma imparcial a jornada de Kardec. Eu tinha certa dúvida sobre Kardec antes devido as pessoas vangloriarem sua imagem. Mas agora o vejo como um ser humano comum que foi instrumento de revelações. E isso acendeu minha mente é aumentou minha confiança no Espiritismo.

Ao longo dos anos, percebemos que responder aos contraditores, quase sempre munidos de paixão pessoal, nos custava tempo e energia que poderiam ser aplicados em algo mais útil. Por essa razão, não respondemos ataques. Ofensas serão deletadas.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s