Visão espírita da páscoa

pascoaAlgumas pessoas têm me perguntando sobre a visão espírita da páscoa. Mas, não há visão espírita sobre ela. Em toda a obra de Kardec, ele jamais deu atenção a isso. Alguns espíritas, normalmente vindos do Catolicismo, sempre tentam ressignificar essas datas comemorativas, tentando dar a elas um valor espiritual que os próprios Cristãos, que, no caso, a herdaram dos Judeus, nunca conseguiram. Mas, isso, no fundo, é uma particularidade desses espíritas, parte de suas crenças antigas que ainda vive em seus corações.

Perguntam-me, igualmente, sobre a carne vermelha. Alguns a evitam em toda a quaresma, outros, apenas nos dias que antecedem a páscoa. Respeito essas pessoas e respeito suas crenças. Entretanto, não temos esse costume no Espiritismo e não temos porque, para o Espiritismo, é irrelevante o que entra pela sua boca, mas, sim o que sai dela (Mateus, 15:11).

Kardecismo?

voce-sabiaO termo “Kardecista”, muito utilizado no passado, parece estar voltando à moda novamente. Contudo, será correto utilizá-lo?

Na introdução de O Livro dos Espíritos, escreve Kardec:

“Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas, ou, se quiserem, os espiritistas”.

O termo espírita pegou no Brasil e o termo espiritista pegou nos países de língua espanhola. Muita gente pensa que a expressão “Kardecista” surgiu no Brasil para diferenciar os Espíritas dos seguidores das religiões Afro-Brasileiras.

Contudo, isso não é verdade. A origem do termo é Francesa! Na Revista Espírita de 1865, Outubro, partida de um adversário do espiritismo para o mundo dos espíritos, uma crítica é feita ao Movimento Espírita Francês e nele é mencionado o termo “Kardecista” e a conotação que possuía a época, que era a dos “seguidores de Kardec”.

Kardec foi apenas o pesquisador que mais se destacou no estudo dos fenômenos espíritas. Mas, não era o único. Diversos outros também formaram suas “escolas” e, como não poderia deixar de ser, divergiam em muitos pontos.

O termo “Kardecista” em seu primórdio, portanto, era utilizado para se referir aos espíritas “puristas”, ou seja, àqueles que seguiam as orientações de Kardec e que adotavam uma postura mais crítica em relação à obtenção do conhecimento e não para diferenciar os espíritas dos demais seguimentos.

Espiritismo = Espíritos + ismo (sistema) = Sistema dos Espíritos. Kardecismo = Kardec + ismo (sistema) = Sistema de Kardec. Desta forma, pergunto: A doutrina é de Kardec ou dos espíritos? E isso já é um bom indicativo de qual termo usar…

Utilizar o termo “Kardecista”, atualmente, é complicar algo simples, tornar mais confuso algo claro em seu princípio. É proceder de forma contrária ao que Kardec escreveu logo no primeiro parágrafo de O Livro dos Espíritos:

 “Para se designarem coisas novas são precisos termos novos. Assim o exige a clareza da linguagem, para evitar a confusão inerente à variedade de sentidos das mesmas palavras”.